Eduardo Nóbrega se descontrola e ataca Joice Silva durante sessão; Joice repudia comportamento do vereador em vídeo publicado nesta sexta (28)
Joice acusa Eduardo de ser machista e diz que ele não engole a presidência dela, em vídeo publicado em sua rede social a vereadora pede um basta e denuncia outras agressões de Nóbrega
28 setembro, 2018 às 15:39
A+  
A-  
Eduardo Nóbrega se descontrola e ataca Joice Silva durante sessão; Joice repudia comportamento do vereador em vídeo publicado nesta sexta (28)
Eduardo Nóbrega se descontrola e ataca Joice Silva durante sessão; Joice repudia comportamento do vereador em vídeo publicado nesta sexta (28) (Foto: Ana Carolina / O Furão)

Irritado com a manobra da presidenta da Câmara Municipal de Taboão as Serra, Joice Silva (PTB), que concedeu o artigo 103 do regimento interno da Casa ao vereador Paulinho, líder de seu partido (PPS), Eduardo Nóbrega (PSDB) se exaltou e questionou a vereadora. O vereador se baseou no fato de que o líder da bancada do PPS pediu um intervalo de 20 minutos, porém faltavam apenas 16 minutos para o término do grande expediente, o que segundo Nóbrega vai contra o regimento.

Mesmo com a sessão suspensa, Nóbrega a tribuna e não poupou críticas a presidenta. “A senhora é presidente da Câmara, não é capacho do prefeito [Fernando Fernandes]. É brincadeira o que está fazendo. […] Você não está respeitando o parlamento. A senhora é fraca. […] não respeito o parlamento e não sabe fazer conta de matemática. Faltam 16 minutos [para terminar a sessão] e pedem 20 [de suspensão]? Ela rasgou a história dela e da mãe dela [a ex-vereadora e atual secretária de assistência social Arlete Silva]”, disse Nóbrega, aos berros.

Joice irritada com os questionamentos do ex-líder do PSBD, rebateu a fala do vereador dizendo:  “Cumpra o regimento porque a presidente até dezembro sou eu”. Em seguida, ela caminhou em direção à sala de reunião e foi seguida por Nóbrega. Exaltado, ele seguiu a vereadora esbravejando, até o corredor,  já fora do plenário. Muitos munícipes que estavam presentes, em sua maioria mulheres, gritavam o vereador o chamando de machista, entre outras ofensas. Instantes depois a vereadora retornou à tribuna e encerrou a sessão.

Em entrevista coletiva à imprensa, Joice afirmou que “o maior vereador conhecedor do regimento interno descumpre quando a sessão é suspensa. Ele liga o microfone, insulta a população, desrespeita a presidência desta casa, não só desrespeitosa, mas de uma forma machista, que ficou muito claro a todos. Ele não respeita a minha presidência por eu ser mulher e isso já foi feito várias vezes aqui e eu nunca me manifestei. E tentou trazer a história da minha mãe para minha história, que fez um grandioso trabalho nessa cidade. Foi um ato desrespeitoso do vereador Eduardo Nóbrega”, para a vereadora ele precisa aprender a respeitá-la.

Para Nóbrega a base está fazendo manobras para impedir a leitura do requerimento para a instalação da CPI contra o prefeito Fernando Fernandes. “A base vem, dentro do regimento, protelando que isso seja feito. Até aí a gente respeita. O problema é que na ordem do dia, são duas horas. A base ficou pedindo reunião com base no artigo 103, que é uma reunião de lideranças para decidir como vai ser colocado um projeto em votação. É um veto que está há mais de dois meses na pauta. E isso apequena o parlamento. Pedi a palavra, pela ordem, e cobrei da presidente, simplesmente que ela não deixasse a Câmara passar o vexame de um pedido de 20 minutos de reunião, quando só tinham 16 minutos para acabar a sessão”, explicou.

 

Ao ser questionado sobre ter sido classificado pela vereadora e pelo público presente como machista, ele nega. “Não cobrei da mulher, Joice Silva. Não cobrei da vereadora. Cobrei da presidente da Câmara. O que as mulheres lutam e eu sou um dos grandes defensores é igualdade de gênero. Não é privilégio. O mesmo direito. O mesmo dever”. […] “É ser machista exigir que a presidente da Câmara não prorrogue por 20 minutos quando só faltam 16? A discussão lá [no corredor] foi entre eles. […] Se ela quer buscar um gancho para tentar se promover, é questão dela. Acho que devia repensar melhor”, disse Nóbrega.

Em um vídeo publicado hoje em sua página do Facebook, Joice explica o que aconteceu, e pede um basta de violência ao vereador, que segundo ela já agrediu por diversas vezes colegas de trabalho. “Esse vereador já me ameaçou várias vezes e na ultima sessão da Câmara perdeu totalmente o controle. Como você pode ver no vídeo, neste momento ele cainha na minha direção, gritando, esbravejando e colocando o dedo no meu rosto, aos berros. Totalmente descontrolado, ele me xinga de fraca, burra, lixo e ridícula” conta Joice enquanto imagens internas do corredor são mostradas.

“Você acha isso justo? Nenhuma pessoa aceita ser xingada por um colega de trabalho. Sou vereadora, presidente da câmara e mulher. Sempre o respeitei, mas ele não me respeita. Infelizmente esta foi a quinta vez, que o vereador Eduardo Nóbrega descontrolado agrediu um colega de trabalho. Já o vi arremessar copos e celular em vereadores, e de forma covarde dar um soco em um vereador com idade superior à 60 anos, no mesmo corredor onde ele me agrediu verbalmente”, a vereadora cita agressões anteriores de Nóbrega, entre elas, quando ele agrediu o ex-vereador Luiz Lune.

Joice finaliza repudiando as atitudes de Nóbrega. “Não aceito violência, ninguém deve aceitar violência. Seja ela em casa, no trabalho ou em qualquer lugar. Por isso estou aqui para dizer que basta, chega de violência Eduardo Nóbrega, não suporto mais o seu descontrole, agressividade e violência.  Como presidente da Câmara cumpro e cumprirei o regimento, não tenho nada a temer.  Mas não vou descumprir as minhas obrigações de presidente para agradar os seus interesses pessoais e políticos. Não vou me acovardar, não vou me vitimizar, quero respeito”.

Confira o vídeo da vereadora e presidenta da Câmara Municipal de Taboão da Serra:

Vereadora Joice Silva DENUNCIA agressões do Vereador Eduardo Nóbrega

Ninguém deve aceitar nenhum tipo de violência. Ninguém deve aceitar ameaça, intimidação e agressão, seja verbal ou física. Nunca mais aceitarei a violência e agressividade desse vereador habituado a agredir colegas de trabalho. A divergência política deve ser no campo das ideias. Pensando sempre no bem-estar de todas as pessoas e não somente em interesses pessoais.

Publicado por Joice Silva em Sexta, 28 de setembro de 2018