Paratleta taboanense é prata no Circuito Loterias Caixa de Atletismo
Japa Léguas fica em segundo lugar nos 100 metros de Petra, categoria RR1 na primeira etapa do nacional
09 junho, 2018 às 13:56
A+  
A-  
Luís Tetsuo Yamauti conquistou a medalha de prata na 1ª etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de Atletismo
Luís Tetsuo Yamauti conquistou a medalha de prata na 1ª etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de Atletismo (Foto: Divulgação)

Na 1ª etapa nacional do Circuito Loterias Caixa de Atletismo, realizado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, nos dias 2 e 3 de junho, o atleta taboanense Luís Tetsuo Yamauti, apelidado de Japa Léguas, foi medalha de prata nos 100 metros de Petra, na categoria RR1.

A competição teve ao todo 287 atletas de 22 estados e do Distrito Federal, e só de São Paulo, foram 122 atletas, o maior número de representantes. A segunda etapa da acontecerá entre os dias 3 e 5 de agosto.

A Petra ou Race Running como é conhecida também, é uma modalidade paralímpica de atletismo criada na Dinamarca em 1989, e chegou ao Brasil 2009. O atleta utiliza uma bicicleta (de três rodas), um guidão para direcionar o suporte para o tronco, um banco para o assento, faixas, mas não tem pedal anexado.

A modalidade é indicada para pessoas com paralisia cerebral, distrofia muscular, doença de Parkinson e outras deficiências que afetam a mobilidade e equilíbrio, dividida em três categorias, a têm a RR1, RR2 e RR3.

O departamento técnico do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB) estabelece os índices, e os atletas que os alcançarem garantem participação na terceira fase nacional, o Campeonato Brasileiro, com os melhores do ano. As três competições serão realizadas no Centro de Treinamento Paraolímpico, em São Paulo.

O mais importante evento paraolímpico de atletismo, halterofilismo e natação do Brasil é o Circuito Caixa Loterias. Composto por quatro fases regionais e duas nacionais, o torneio tem como objetivo desenvolver as práticas desportivas em todos os municípios e estados brasileiros, além de melhorar o nível técnico das modalidades e dar oportunidades para atletas de elite e novos valores do esporte paraolímpico do país. Em 2018, as disputas das fases nacionais estão sendo separadas por modalidade, haverá ainda um Campeonato Brasileiro de cada modalidade.