Secretária-adjunta de saúde de Embu é acusada de desviar verbas
Segundo os documentos forjados os médicos trabalham 40 horas mensais e recebem 200 horas; Serrano é acusada também de maltratar médicos e funcionários da saúde
Por Redação
16 julho, 2018 às 16:28
A+  
A-  
Secretária-adjunta de saúde estaria desviando verbas com ajuda das secretárias de Ney e de Tarifa
Secretária-adjunta de saúde estaria desviando verbas com ajuda das secretárias de Ney e de Tarifa (Foto: Denúncia)

Funcionários da saúde de Embu das Artes denunciaram os maus tratos que estão sofrendo por parte da secretária adjunta de saúde, Maria Zenilda Gomes de Moraes Serrano.

Serrano está sendo motivo de reclamação por parte de vários funcionários, alguns deles da UPA, chegaram a registrar um boletim de ocorrência sobre uma agressão verbal, “A secretária está impossível, maltratando funcionário, eles estão preocupados e querem expor a forma com ela tem agido”, disse o leitor que fez a denúncia.

Boletim de ocorrência registrado por funcionários sobre agressão verbal

A reportagem do Furão investigou os fatos e a história de Maria Serrano, que vai muito além de falta de profissionalismo e educação. “A tal da Maria Serrano veio aqui agora e colocou a gente no chão, chamou a atenção da enfermagem toda na frente dos pacientes, um absurdo”, contou uma funcionária do UBS do Jardim Vista Alegre.

“Estou indignado com essa administração atual, trabalho na prefeitura de Embu há alguns anos, teve uma sexta-feira aí, no dia 29, que eu fui à UBS do Vista Alegre, e essa cidadã que se intitula ser a secretária-adjunta de saúde, a tal de Maria Serrano, chegou tratando a gente como se fossemos cachorros, pior que cachorro, gritando com os funcionários, com o pessoal da enfermagem e eu to indignado, tantos anos como funcionário da prefeitura e nunca passei por uma situação dessas”, explicou outro funcionário.

Ele contou ainda que já ouviu “relatos de que ela chega no pronto-socorro e na UPA da mesma forma e eu acho que temos que fazer alguma coisa contra  essa cidadã que não tem competência para ser a nossa representante.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, Sebastião Caetano da Paixão, encaminhou à Secretaria de Saúde da Prefeitura de Embu das Artes no início deste mês, uma solicitação de informações referente às queixas que os funcionário públicos vêm fazendo sobre as ações descabidas da secretária-adjunta. “Tal pedido se faz necessário em relação à diversas reclamações dos servidores do SAMU, PS, UPA e UBS do Jardim Vista Alegre, quanto à falta de educação e respeito da servidora”.

Além das denúncias de maus tratos, a reportagem do Furão também teve acesso à informações de que Maria Serrano teria trazido um grupo de médicos para trabalhar com contrato de emergência  na prefeitura Embu, a maioria deles são bolivianos, e em troca do emprego, os medico pagariam a ela ao menos mil reais por mês, além de pegar também as suas cestas-básicas.

Os médicos trazidos por Serrano seriam os doutores Anderson Clayton da Cruz, Abel Jesus Arakaki Pereira, Marcus Vinícius Andrade Coelho, Eliivaldo de Souza Silva, Juscelino José da Silva, Waldo Adriel Muriel Claire, Denys Sol Sol Reyna,Daniel Cavalcante, Roly Reynaldo Thola Nino, Edna Vladnir Prado Vargas, Shirlei Novilho Pereira, Débora Andrade de Souza, Marta Fértil Machado e Osvaldo Fonseca Santos.

Além do repasse que teriam que fazer a Serrano, testemunhas que preferiram não se identificar afirmaram que a secretária adjunta de Saúde, juntamente com Vanessa Silva, secretária de Ney Santos, e Thamires de Souza May, secretária de José Alberto Tarifa, que é secretário de saúde, estariam envolvidas em um esquema de corrupção, onde alteravam as folhas de pontos dos respectivos médicos, fazendo com que nos documentos constasse que eles trabalhavam de 200 horas mensais, 160 horas a mais do que o que eles realmente trabalham. Os valores seriam repassados às envolvidas. Vereadores da base tem informações e documentos que comprovam a fraude, porém nunca fizeram a denúncia.

Dr. Waldo, Thamires May e Maria Serrano.

 

Segundo informações, Ney não sabia do esquema, e quando descobriu ameaçou demiti-las. Entre estes médicos está o Dr. Waldo Adriel Muriel Claire, que tem um vínculo pessoal com Serrano, o mesmo é dono de um veículo Chevrolet Cruze 2014 preto, que vale cerca de 50 mil reais, o carro está irregular e com comunicado de venda em nome do doutor Waldo há mais de um ano. O mesmo veículo está sendo usado desde maio do ano passado pelo pastor Marco Roberto da Silva, chefe de gabinete de Ney Santos e seria mais uma moeda de troca para a vinda de Serrano para o governo.

Confraternização entre Vanessa Silva, Pastor Marco, Maria Serrano e outras pessoas do governo.

Quando presidente do instituto Quero-Quero, nos anos de 1999 e 2000, Maria Serrano foi citada juntamente com o instituto para responder a acusação de recebimento de recursos federais devido ao convênio SERT/SINE 86/99 entre o governo de SP e o Instituto, no valor de 30 mil reais para realização de ações pedagógicas de qualificação profissional no município de Osasco, porém  uma fiscalização apontou irregularidades, ela e o instituto foram condenados a devolver os valores.

A reportagem do Furão tentou entrar em contato com Maria Serrano diversas vezes na secretaria de saúde, mas não conseguimos encontrá-lá até o fechamento da matéria.